banner outras publicações


manual de reflexoesMANUAL DE REFLEXÕES SOBRE BOAS PRÁTICAS DE LEITURA

Daniela B. Versiani, Eliana Yunes e Gilda Carvalho

coedição Unesp Editora / 2012
 brochura / 14 x 21cm / 168 páginas

Este livro, preparado com base no exame de cerca de 5.800 projetos de leitura em andamento no Brasil, é construído de pequenos verbetes articulados entre si, que poderão ser lidos conforme as necessidades e os interesses do leitor.

Defendendo o pressuposto de que a leitura pode ser uma experiência prazerosa, seus autores não descuidam, porém, da necessidade de firmar alguns conceitos e, em última análise, solidificar uma base teórica consistente sobre o ato de ler, na primeira parte do livro. Completamente sintonizado com a contemporaneidade, o Manual aborda ainda a vantagem de estimular a leitura não apenas no ambiente escolar, mas também em outros espaços (como a biblioteca e a família), focalizando a relevância de formar leitores em linguagens e mídias diferentes. Além disso, inclui listas de sugestões de filmes, livros e textos teóricos cujos temas focalizam a leitura, os livros e a importância do ato de ler.

Livro ilustradoLIVRO ILUSTRADO: palavras e imagens
Maria Nikolajeva e Carole Scott
coedição Cosac Naify / trad. Cid Knipel / orelhas Luiz Antonio L. Coelho
 brochura / 16 x 24cm / 368 páginas
Renomadas no meio acadêmico, Maria Nikolajeva e Carole Scott escolheram a semiótica, associada à narratologia, como linha de pesquisa para a análise do livro ilustrado. As autoras conduzem o leitor para uma esclarecedora compreensão do significado das imagens dentro da história. A dupla analisa livros de autores que nos são conhecidos – como Maurice Sendak, John Burningham, Dr. Seuss e Beatrix Potter – além de trazer preciosidades da literatura sueca e dinamarquesa, ainda desconhecidas do público brasileiro – Barbo Lindgren, Eva Eriksson, Tord Nygren, entre outros. A edição brasileira contém páginas em papel diferenciado com imagens internas coloridas de alguns livros citados. O resultado final é surpreendente: nunca as fronteiras que separam a literatura das artes visuais foram tão ameaçadas.

 

Voltar